9 de novembro de 2011

Tum tum tum...

Olá meninas, estou em falta com vocês, mas estou com muito enjôo e dor nas costas. Obrigado pelo recadinho Ju Silva e Rose. Estou bem, e não vou abandonar o blog e nem vocês.
Vou contar o que houve comigo na semana que soube que estava grávida. No dia 4 de Outubro resolvi fazer o exame de sangue que deu positivo. Porém, com receio de que o exame estivesse dando o resultado errado, tentei conter minha euforia e aguardar confirmação do médico. Resolvi fazer o exame antes porque tinha ido um dia antes na emergência, pois minha garganta havia fechado e estava com corpo dolorido. O médico quis  me dar qualquer remédio, mesmo eu falando da suspeita de estar grávida, e como na sexta-feira também estava marcada para fazer um raio x, achei melhor tirar esta dúvida antes. E foi por isso que resolvi fazer o exame antecipadamente. Como havia me recusado a tomar a injeção, comecei a tomar antibiótico via oral. Faziam 7 dias, chegando no último dia, quando parecia estar tudo resolvido, minha garganta fechou de novo. Ainda bem que estava com consulta marcada e o médico ginecologista e obstetra confirmou minha gravidez. Depois falei sobre minha garganta e ele me  receitou uma injeção de Benzetacil. Tomei no mesmo dia e no Sábado estava bem. Dias depois parecia que minha garganta iria fechar de novo, como o médico tinha falado para eu voltar na outra sexta-feira, resolvi esperar. Foi quando ele  falou que se eu sentisse febre ou a garganta piorasse, era para eu voltar na emergência e tomar outra injeção. O médico me deu um encaminhamento para ir ao otorrino, pois ele falou que eu poderia estar com uma bactéria resistente. Mas, graças a DEUS, minha garganta melhorou.
Nesta mesma sexta-feira o médico fez outro exame transvaginal, para ver se escutava o coraçãozinho do bebê bater, pois não havia conseguido escutar no primeiro exame. Quando ele colocou o aparelho ele ainda não estava conseguindo escutar, foi quando ele explicou que estava muito pequeno ainda e que deveria ser por isso que não conseguia escutar. Mesmo assim ficou passando o aparelho para medir e saber quantas semanas eu estava. Foi quando ele aumento o som no aparelho e falou tá escutando? Tum tum tum... Eu fiquei tão feliz e emocionada, que quando fui me despedir do Dr Bruno comecei a chorar, pois o tratamento havia acabado e a partir dali seguiria com outro médico.  Agradeci por não ter desistido de mim e das outras pacientes, pois como já havia falado, a Marinha  determinou o término do tratamento de fertilização no hospital (HNMD) desde Junho. Sendo que o Dr Bruno decidiu continuar com as pacientes que já estavam em tratamento. Pela Marinha já deveria ter acabado com esse tratamento no dia que deram a ordem, só que Dr Bruno falou que não iria desistir das pacientes antigas e nem das que começaram naquele mês. Por isso lhe serei eternamente grata. Primeiramente a Deus por ter me concedido esta graça e depois a ele (Dr Bruno) por ter tido a sensibilidade ao entender que isto é importante para gente e nos ter dado esta oportunidade, contrariando a ordem recebida por seus superiores.

SOPHIA ALICE

E-familynet.com Ticker

Seguir por e-mail