30 de agosto de 2011

Como saber a hora de ter outro filho.


Quando tive Felipe eu já pensava em ter outro filho mas só depois dele grande.Queria curtir ele o máximo. Hoje diante da dificuldade de ter outro filho acho que poderia ter tido outro logo depois. Muitas pessoas dava conselho falando para ter outro logo e eu não sabia o porque, hoje já vejo o porque.As crianças sem irmãos se torna solitárias,ansiosas e individualista. O que mais me deixa triste é ver solidão delas quando não tem um irmão para brincar.Eu sou 2 anos mais velha que minha irmã.Nós brincamos muito juntas até hoje somos unidas.Com meu filho Felipe sempre tentei brincar com ele ou levava para brincar com outras  crianças.Hoje tento conversa, ser amiga confidente, mas acabo contando para outra pessoa para pedir conselho ou porque acho bonitinho ele falar das paqueras dele do colégio então ele perde a confiança em mim.Fico pensando se eu tiver outro filho ano que vem. Imaginando daqui 4 anos, eu com uma criança pequena e ele indo para as baladas.Ele fala que não quer outro irmãozinho,porque acha que vai perde as mordomias e que não vai ganhar mais presente por ser grande.

Tenho lido muito sobre esse assunto,então vamos ver a primeira coisa que nós devemos saber é que ,da mesma forma que o nascimento de um bebê altera a rotina do pai e a mãe, ele também o faz com o mais velho. Antes, ele era o rei da casa: tinha atenção e dedicação exclusiva de todos,o quarto era só seu e não era preciso emprestar os brinquedos para ninguém. Mas, agora, a coisa mudou de figura e o irmãozinho passou a ocupar o posto de maior destaque na família. "Assim é o pensamento do irmão mais velho. Para ele,os sentimentos de ciúme e abandono são tão latentes que ataques de agressividade podem ser tornar frequente. Ele não vai querer falar mais com você, alguns voltar a fazer xixi na cama e a pedir mamadeira para dormir,mais isso é normal na faixa etária até cinco anos, pois a criança tende a sentir mais a "perda" dos pais depois da chegada do irmão por receio de ser abandonada. No livro Irmãos - Para Entender Essa Relação(Editora Nova Fronteira),o autor Marcel Rufo diz que a criança de 3 e 4 anos sofre mais com o nascimento de um irmão,porque se encontra em uma fase de mudanças,como ida à escola. Segundo ele,portanto, para evitar a ciumeira, o ideal seria esperar cerca de 7 anos para ter o segundo filho - o que nem sempre é viável para as famílias.Entretanto, Marcel explica que o ciúme é normal e faz bem p/a criança, levando-a a uma competição sadia com o irmão mais novo. A única coisa ruim é que pode demorar a passar e pode piorar quando o bebê começar a andar e a fazer gracinhas, pois certamente chamará ainda mais atenção das pessoas e passará a exigir mais cuidados dos pais. Então,o que fazer?

*Procure dar a mesma atenção de antes ao primogênito.

*Dê um brinquedo novo a ele ou como no meu caso pergunte o que ele quer
ganhar ,mas só no caso do caçula ser presenteado.

*Elogie as atitudes positivas dele,mostrando como é bom ser irmão
mais velho da casa.

*Não o force a dividir seus brinquedos ou suas coisas.

*Evite mudanças bruscas na sua rotina,como trocar de quarto,pedi a
opinião dele.

*Conte como você agia com ele quando era também um bebê.

*Não peça para ele fazer silêncio o tempo todo por causa do recém-nascido,pois o bebê
também devera acostumar com o irmão mais velho.

Espero que Luis Felipe curta seu irmãozinho quando eu conseguir
engravidar,pois será uma aventura para ele. 


26 de agosto de 2011

Por que é difícil emagrecer depois da gravidez

Outro dia vi os exames antigos de quando estava grávida do Felipe. Antes de engravidar eu pesava 52kg, era bem magrinha, durante a gravidez engordei 20kg e no final da gravidez estava c/72kg. Logo depois consegui emagrecer 8kg, fiquei com um corpo bom, pois era muito magra. Mas nesse período eu estava muito triste, pois minha barriga não voltou a ficar do jeito que era antes, ficou muito flácida, e em vez de emagrecer eu engordei, voltei aos 72kg. Fiquei com esse peso durante 6 anos. Sempre tomei anticoncepcional, mas depois que tive Felipe não vacilei mais.É muito complicado engravidar com apenas 20 anos e não ter tido seus sonho realizado naquele momento era termina o ensino médio e entra numa universidade.

Depois que tive Felipe nunca parei de tomar anticoncepcional e de usar camisinha, não queria engravidar logo. Quando eu menstruava sentia muitas cólicas, ficava irritada com qualquer coisa, então resolvi com um médico tomar um anticoncepcional p/que não viesse mas a menstruação. Foi meu erro, pois foi ai surgiu o ovário policistico. Logo começou os sintomas como a pele muito oleosa, acne e engordei mais 10kg. Hoje estou com 82kg, sigo a receita da nutricionista, mas não consigo perder peso. Estou tratando o ovário policistico a 3 anos, ele apenas diminuiu,mas ainda estou com a "SOP". Agora estou fazendo um tratamento p/ engravidar. O médico aumentou a medicação pois só 2 comprimidos não estava funcionando.Fiz 3 ciclos com 1 comprimido, mas 3 ciclos com 2 comprimidos e agora irei fazer com 3,Tudo sendo acompanhado da ultrassonografia . O remédio Serophene ou Indux não estavam fazendo meu ovário ovular durante o tratamento de indução da ovulação. Mês que vem voltarei a fazer o tratamento, agora com 3 comprimidos.
Antes eu de short e minha irmã
Agora eu e minha irmã 30 kg a mais



24 de agosto de 2011

Quando as pessoas mudam (parte 2)

Com seus 2 netos e sua filha Vera
Sua neta Clara
Seus netos Felipe e Yasmin

Minha mãe ficou toda boba quando soube que eu estava grávida. No período da minha gravidez morei com meus pais, e quando Felipe nasceu ela ficou doida com ele. Ela ia visitá-lo todo dia no hospital, onde fiquei mais que o normal, 7 dias, porque Felipe teve icterícia. Quando cheguei em casa com Felipe ela tomou de meus braços e foi dar o primeiro banho.
Minha mãe teve 3 filhas: a primeira Vivian, 2 anos depois Vera (eu) e 2 anos mais tarde Vanessa, sendo as duas últimas filhas do mesmo pai, Victor. Meu pai que já faleceu há 8 anos.
A Vivian foi criada pelos meus avós. Quando minha mãe conheceu meu pai ela tentou buscá-la, mas meus avós não deixaram levá-la. Todas nós, filhas, tivemos um filho cada. Eu fui a primeira com Felipe que tem 12 anos, Vanessa teve Yasmin que tem 9 anos e Vivian teve Clara que tem  4 anos.
Só que o xodó da minha mãe é o Felipe, acho que por ter tido várias filhas e netas. Lógico que ela adora as netas, mas o Felipe é o “principezinho” entre as mulheres.
Minha irmã Vivian mora longe em Minas Gerais, já Vanessa e sua filha moram com minha mãe.
Olha como é engraçado, se minha mãe vê agente bater ou castigar nossos filhos ela se intromete, entra na frente e tudo. Nem meu marido pode brigar com Felipe, pois se ela vê, ela briga também.
Eu já cheguei a bater no Felipe, mas eu fiquei com remorso. Hoje é raro eu fazer isso, prefiro colocar de castigo ou tiro o vídeo-game e a internet, até ele melhorar. E com isso recebo um troféu de minha mãe, que sempre me elogia. Deve ser porque minhas outras duas irmãs, quando vão bater, não perdoam e batem com vontade. Ela sempre briga com elas. Vanessa já diminuiu, mas a Vivian não. Eu converso com elas para não fazerem isso, e aconselho até a seguir o método da “Super Nane”, aquele programa do SBT, e que aliás se inspira no “Super Nane(estrangeiro)” que faz parte da programação da GNT. São programas super educativos.
Veja como é a vida, vamos melhorando ou piorando. Mas, geralmente, procurando aprender com o erro dos outros.


16 de agosto de 2011

Sorteio: no Blog Coisas da Maura

SORTEIO: Concorra a um COOKTOP Vitrocerâmico da Tramontina no Blog Coisas da Maura http://coisasdamaura.blogspot.com/

8 de agosto de 2011

"Manchas de gravidez"

A gravidez é sempre um período muito especial na vida de uma mulher, mas não se pode negar que as futuras mães passam por complicadas transformações nesse período. Além das variações repentinas de humor e de desejos incontroláveis, as mudanças físicas também não deixam por menos. Uma das alterações que frequentemente levam as grávidas ao consultório médico são as manchas na pele.

Também conhecidas como cloasmas ou melasmas, as chamadas “manchas da gravidez” aparecem principalmente por causa de alterações hormonais típicas da gestação, sendo que algumas mulheres já tem predisposição genética para desenvolver este problema . Segundo a dermatologista Karen Lutfi, elas costumam ser escuras e de tamanhos e formatos irregulares, e surgem, na maioria dos casos, no rosto, especialmente na testa, bochechas, acima do lábio superior, no nariz e nas têmporas. 


























No entanto, os grandes vilões da pele continuam sendo os raios de sol. Não é por acaso que as áreas mais afetadas são as que mais ficam expostas à luz solar. A mulher que não tem o hábito de passar protetor solar regularmente corre mais riscos de ter cloasmas durante a gravidez.

Foi o que aconteceu com Ana Paula Maia, gerente de contas de 32 anos. Grávida de quatro meses, ela tem sofrido bastante com as manchas que apareceram em seu rosto. “Sempre tomei muito sol. Agora estou vendo as consequências”. Ela também conta que marcas de espinha, que antes saíam rapidamente, agora tendem a se tornar manchas bem fortes, que têm que ser escondidas com corretivo.

A boa notícia é que o caso de Ana Paula, assim como o de todas as grávidas, tem solução. De acordo com a dermatologista, mulheres grávidas estão proibidas de fazer tratamentos de pele mais intensos, mas depois que o bebê nascer, opções não faltam. Os tratamentos mais recomendados são: peeling, uso de luz intensa pulsada e uso de despigmentante de pele. E sempre, sempre deve-se seguir a regra essencial para ter uma pele linda e saudável: use filtro solar.

SOPHIA ALICE

E-familynet.com Ticker

Seguir por e-mail